Topo
Blog do Dr. Alexandre Faisal

Blog do Dr. Alexandre Faisal

Categorias

Histórico

Periodontite se associa com 14% de aumento no risco de câncer feminino

Alexandre Faisal

2003-11-20T17:12:42

03/11/2017 12h42

Resultado de imagem para tooth brushing

Você acha o cuidado com a saúde bucal tão importante quanto os demais cuidados de saúde?  Clique aqui para votar

Cuidados com a cavidade bucal e dentes são pouco freqüentes na população, até por razões culturais que não identificam a higiene oral como uma prática tão importante de saúde como medir a pressão,  controlar a glicemia ou fazer exame de prevenção de câncer. Mas isso não é bem assim. E, pior ainda, a doença periodontal pode estar associada ao maior risco de câncer em mulheres mais velhas. Esta é a conclusão de um grande estudo americano (WHI) que avaliou prospectivamente mais de 65 mil mulheres, com idades entre 54 e 86 anos. No início da pesquisa elas forneceram informação sobre doenças periodontais no período de 1999 e 2003, por meio de pergunta direta. Posteriormente foram avaliadas por até 15 anos para a verificação da ocorrência de diferentes tipos de câncer. Foram avaliadas outras variáveis que poderiam confundir uma eventual associação entre periodontite e câncer, tais como idade, etnia, consumo de álcool e principalmente tabagismo.

O resultado mais impressionante confirma que  história de doença periodontal  se associou com aumento de 14% no risco total de câncer. E que estes resultados foram semelhantes quando as análises foram limitadas as mulheres que nunca haviam fumado na vida. A associação foi observada para vários tipos de câncer: mama, pulmão, esôfago, vesícula biliar e melanoma, sendo que a magnitude do efeito variou conforme a localização do tumor. Os mecanismos por meio dos quais a doença periodontal promove câncer não é bem definido e precisa ainda ser determinado. Uma teoria  plausível admite que patógenos orais, certas bactérias, por exemplo, podem-se  deslocar para outros locais do organismo por meio da saliva no intestino, aspiração na placa dental ou liberação na circulação a partir dos tecidos periodontais doentes. A identificação destes agentes em locais distante da boca já foi documentada. Falta ainda esclarecer o mecanismo da carcinogênese.

As implicações do estudo são evidentes. O tratamento da doença periodontal passa a ser também importante como forma de reduzir o risco destes tipos de câncer feminino. Principalmente se consideramos que problemas de saúde bucal, incluindo gengiva e dentes é mais freqüente com o aumento da idade e envelhecimento e que a maioria dos cânceres tende a ter um longo período de latência. Mas antes que os homens acreditem que este assunto é coisa de mulher, vale destacar que  um outro estudo com mais de 48 mil  profissionais de saúde masculinos dos EUA relatou um aumento de 14% do risco total de câncer, entre os homens com história de doença periodontal auto-relatada, na comparação com os que aqueles sem não possuem essa história. Como se observa, os homens também não vão escapar deste cuidados orais.

(Nwizu et al.Periodontal Disease and Incident Cancer Risk among Postmenopausal Women: Results from the Women's Health Initiative Observational Cohort. Cancer Epidemiol Biomarkers Prev; 26(8); 1255–65,2017)

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP e pesquisador científico do Departamento de Medicina Preventiva da FMUSP. Formado em Psicossomática, pelo Instituto Sedes Sapientiae, publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" e é co-autor do livro "Segredos de Mulher: diálogos entre um ginecologista e um psicanalista”. Atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais e sobre saúde em empresas e eventos.

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam as mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e descontraída das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.