PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Quais valores pessoais te fazem feliz?

Alexandre Faisal

26/12/2019 16h57

Qual valor pessoal você considera fundamental para se atingir a felicidade ? Clique aqui para votar

          A passagem do ano é sempre uma época propícia para balanço de vida, para avaliarmos se realmente estamos felizes e, no caso de resposta negativa, o que é possível fazer para mudar o cenário. Existe literatura crescente sobre a ciência da felicidade. Muitos estudos sugerem que a felicidade é um conceito meio abstrato, subjetivo que pode ter relação com nossos valores pessoais. Valores pessoais se referem às crenças, princípios ou ideias que são importantes para a vida das pessoas. Assim ser feliz é viver de acordo com estes parâmetros. Pois bem, um estudo conduzido por pesquisadores da Sogang University na Coréia do Sul investigaram se as pessoas são felizes da vida e quais são as associações entre valores pessoais e felicidade. Os dados fazem parte de uma pesquisa nacional com amostra representativa da população coreana coletada em três anos (2007, 2008 e 2009). Na pesquisa os entrevistados são convidados a avaliar sua felicidade e indicar o domínio de vida mais valorizado entre os 10 apresentados, incluindo, por exemplo, domínios como família e dinheiro. No geral, os participantes avaliaram a importância de quatro categorias diferentes de valores pessoais: priorizar relacionamentos sociais, realizações extrínsecas, saúde física e espiritualidade.

Vamos aos resultados. 66% dos 1599 entrevistados relataram que estavam felizes. Os entrevistados que priorizam a religião (ou seja, a espiritualidade) foram os mais propensos a serem felizes, seguidos por aqueles que priorizam as relações sociais, incluindo família, amigos e vizinhos. Aqueles que priorizaram realizações extrínsecas (dinheiro, poder, escolaridade, trabalho e lazer), bem como a saúde, eram menos propensos a serem felizes. As descobertas sugerem que a busca de metas focadas em valores egocêntricos tem menos probabilidade de resultar em felicidade do que a busca de objetivos coletivos centrados nos outros e na transcendência. E os bens materiais? Vale lembrar que o bem-estar material é ingrediente crítico do bem-estar humano, mas depois de certo limiar (isto é, uma vez satisfeitos os desejos básicos) novos acréscimos de ganho material não garantem adicional de felicidade. Mas antes que você discorde, calma, pois há controvérsias. O fato é que há outros fatores que determinam o bem-estar subjetivo. Por exemplo, valores intrínsecos, como crescimento e priorizar as relações sociais, estão positivamente associados à felicidade, em contraste com valores extrínsecos, como sucesso econômico e popularidade. Tempo é outro fator de felicidade. Priorizar mais o tempo do que o dinheiro é o caminho para ser feliz.

E finalmente, a questão da família e espiritualidade. A sociedade coreana é tradicionalmente fundada em fortes valores familiares derivados do confucionismo, embora isso tenha se enfraquecido nas últimas décadas. De qualquer modo, ser espiritualizado ajuda a ser feliz, ainda que a relação entre os dois possa ser ao contrário. No final das contas fica minha pergunta ao leitor: o que te fez feliz em 2019, te fará feliz em 2020?

(Lee M-A, Kawachi I (2019) The keys to happiness: Associations between personal values regarding core life domains and happiness in South Korea. PLoS ONE 14(1): e0209821)

Sobre o Autor

Alexandre Faisal é ginecologista-obstetra, pós-doutor pela USP e pesquisador científico do Departamento de Medicina Preventiva da FMUSP. Formado em Psicossomática, pelo Instituto Sedes Sapientiae, publicou o livro "Ginecologia Psicossomática" e é co-autor do livro "Segredos de Mulher: diálogos entre um ginecologista e um psicanalista”. Atualmente é colunista da Rádio USP (FM 93.7) e da Rádio Bandeirantes (FM 90.9). Já realizou diversas palestras médicas no país e no exterior. Apresenta palestras culturais e sobre saúde em empresas e eventos.

Sobre o Blog

Acompanhe os boletins do "Saúde feminina: um jeito diferente de entender a mulher" que discutem os assuntos que interessam as mulheres e seus parceiros. Uma abordagem didática e descontraída das mais recentes pesquisas nacionais e internacionais sobre temas como gravidez, métodos anticoncepcionais, sexualidade, saúde mental, menopausa, adolescência, atividades físicas, dieta, relacionamento conjugal, etc. Aproveite.